Stay for me
Me chamo Aline, 18. Amo escrever, ler, editar, comer, viajar, trabalhar, dinheiro, vestidos longos, moda hippie, batom vermelho, cabelo cacheados (o meu u.u) e sigo de volta se você me der atenção. *-*
“Seu corpo nu só deve pertencer a quem se apaixonar por sua alma nua.”
Charlie Chaplin em uma carta para sua filha, Geraldine   (via realidade-paralela)
“Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta, hoje não a lastimo. Não há falta na ausência, a ausência é um estar em mim e sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres, porque a ausência assimilada, ninguém a rouba mais de mim.”
Ausência, Carlos Drummond de Andrade.   (via palavrisses)
“Eu sou o caos. Eu sou a bagunça. Eu sou a tempestade que nunca passa. Eu sou um vulcão prestes a entrar em erupção. Eu sou os ventos contrários. Eu sou o avião entrando em turbulência. Eu sou um quebra-cabeça faltando peças. Eu sou um trem fora de seus devidos trilhos. Eu sou a escuridão da noite. Eu sou o fundo do poço. Eu sou o desalento, a fraqueza, a dor, o estrago. A solidão. A tristeza.”
Raphael Henrique, Desalentou.  (via palavrisses)
thefader:

GEN F: AMY WINEHOUSE
“Quando o Sol e a Lua se encontraram pela primeira vez eles apaixonaram-se perdidamente, e a partir daí começaram a viver um grande amor. Acontece que o mundo ainda não existia e no dia em que Deus resolveu criá-lo, deu ao Sol e a Lua o toque final: O Brilho. Ficou também decidido que o Sol iluminaria o dia e que a Lua iluminaria a noite, sendo assim, o Sol e a Lua seriam obrigados a viverem separados para sempre. Abateu-se sobre eles uma grande tristeza quando tomaram conhecimento de que nunca mais se encontrariam. A Lua foi ficando cada vez mais amargurada mesmo com o brilho que Deus lhe havia dado, tornando-se cada vez mais solitária. O Sol, por sua vez havia ganhado um título de nobreza, o de “Astro-Rei”, mas isso também não o fez feliz. Deus então chamou-os e explicou-lhes: “Vocês não devem ficar tristes, porque agora ambos possuem um brilho próprio. Tu Lua, iluminarás as noites frias e quentes, encantarás os namorados, e serás diversas vezes motivo de poesias. Quanto a ti Sol, sustentarás o titulo de “Astro-Rei” porque serás o mais importante dos astros, iluminando a terra durante o dia e fornecendo calor para o ser humano. E a tua simples presença fará com que as pessoas sejam mais felizes. A Lua entristeceu-se muito com o seu terrível destino e chorou dias a fio. Já o Sol ao vê-la sofrer tanto decidiu que não poderia deixar-se abater, pois teria que dar forças a Lua, e ajudá-la a aceitar o que havia sido decidido por Deus. No entanto a preocupação do Sol era tão grande que este resolveu fazer um pedido a Deus. “Senhor, ajude a Lua, por favor. Ela é mais frágil do que eu e não suportará a solidão…” E Deus na sua imensa bondade resolveu criar as estrelas para fazerem companhia a Lua. A Lua sempre que está muito triste recorre as estrelas que tudo fazem para consolá-la, mas quase nunca conseguem… Hoje Sol e Lua vivem assim… Separados. A Lua não consegue esconder a sua tristeza e o Sol ainda arde de paixão pela Lua. A Lua ainda vive na escuridão da saudade…Dizem que a ordem de Deus era que a Lua deveria ser sempre cheia e luminosa… Mas ela não consegue isso. Quando feliz consegue ser cheia, mas quando infeliz é minguante e quando é minguante nem sequer é possível ver o seu brilho. Sol e Lua seguem o seu destino. Ele solitário mas forte. Ela acompanhada pelas estrelas mas fraca. Deus decidiu que nenhum amor neste mundo seria de todo impossível. Nem mesmo o da Lua e o do Sol. E foi então que Deus criou o Eclipse. Hoje em dia o Sol e a Lua vivem a espera desse raro momento que lhes foram concedidos e que custam tanto a acontecer. Quando alguém, a partir de agora, olhar para o céu e ver que o Sol encobriu a Lua, é porque ele se deitou sobre ela e começaram a se amar. E esse ato de amor se chama Eclipse. Importante é lembrar que o brilho do êxtase deles nesse ato é tão grande que se aconselha a não olhar para o céu nesses momentos, porque os olhos podem cegar de ver tanto amor.”
Photograph. (via obsolete-element)

deus-e-poeta:

Senhor, não quero que os meus olhos
percam o brilho do primeiro amor, por Ti.

“Tomara que a tristeza te convença, que a saudade não compensa e que a ausência não dá paz. E o verdadeiro amor de quem se ama tece a mesma antiga trama, que não se desfaz. E a coisa mais divina que há no mundo, é viver cada segundo como nunca mais…”
Vinícius de Moraes.  (via capacitadora)
“Cumpriu sua sentença. Encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca do nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, porque tudo o que é vivo, morre.”
Ariano Suassuna - O Auto da Compadecida. (via escandalos-p-o-e-t-i-c-o-s)

soatitudes:

    E que venham as mudanças! E que elas tragam novos medos, novos sorrisos e novas atitudes. Que elas baguncem os cabelos, corram contra o sol e tragam as inevitáveis novas lágrimas. Porque mudar é necessário, e é bom, e traz vida e liberta. Que venham os novos tempos; e  se não forem melhores que sejam intensos.

sociedadedebunda:

image